Sabin Por: Sabin
Leitura
8min 20s
OUVIR 00:00
AAA

Em meio a uma pandemia, é importante estar sempre alerta aos primeiros sinais da doença — e isso não é diferente com os sintomas da Covid-19. Saber identificá-los ainda nas fases iniciais da enfermidade pode ser essencial para um diagnóstico precoce e, consequentemente, para uma melhor recuperação.

Diagnosticar a doença também é importante para que o paciente tome os devidos cuidados para evitar o contágio de outras pessoas. O diagnóstico rápido é um cuidado com nós mesmos e com aqueles que a gente ama; para isso, os testes para a Covid-19 são essenciais.

Como sabemos, a contaminação ocorre pelo contato direto com um indivíduo infectado, seja por gotículas salivares, pela respiração ou compartilhando objetos. Os próprios sintomas, como a tosse e os espirros, também facilitam a disseminação do vírus.

Dada a importância do diagnóstico precoce da Covid-19, traremos a seguir 6 de seus sintomas mais comuns. Falaremos das diferenças entre eles e sobre quando você deve procurar atendimento médico, caso apresente algum deles. Continue com a gente para saber mais!

Tosse

A tosse é um sintoma comum, com a qual a maioria das pessoas já está habituada. Ela é uma resposta natural do organismo para proteger nossas vias aéreas de partículas ou microorganismos — por isso tossimos, por exemplo, quando engasgamos ou quando estamos resfriados.

No caso da Covid-19, a tosse nos ajuda a “expulsar” o vírus e a impedir que ele se aprofunde nos pulmões. Além disso, o vírus também causa um inchaço e inflamação da mucosa respiratória, o que gera um outro estímulo para a tosse.

Na maioria dos casos da contaminação pelo SARS-CoV-2, a tosse é do tipo irritativa e seca, podendo vir acompanhada de secreções. Ela pode persistir por semanas ou meses, mesmo em pessoas que já foram curadas da infecção. Cabe frisar, no entanto, que a tosse geralmente vem acompanhada de outros sintomas na Covid-19.

Além de um sintoma, a tosse também é um importante veículo de transmissão do coronavírus: de acordo com um recente artigo publicado no JAMA (Journal of the American Medical Association), as gotículas contidas em uma tosse podem alcançar até 8 metros, carregando consigo o SARS-CoV-2. Por isso, é fundamental o uso de máscaras — que fornecem uma barreira física contra essas gotículas, reduzindo a transmissão.

Embora a tosse seja um sintoma comum da Covid-19, ela não é exclusiva dessa doença. Como já mencionamos, ela é um sinal que pode surgir em outras situações, como, por exemplo, em um resfriado comum. Caso você apresente episódios de tosse, o melhor a fazer é procurar um profissional da saúde para avaliar seu quadro atual.

Perda de olfato e paladar

Damos o nome de anosmia e ageusia, respectivamente, para a perda do olfato e do paladar. Esses sintomas se destacam em relação aos demais por serem um pouco mais específicos da Covid-19, sendo considerados especialmente úteis no diagnóstico. A perda desses sentidos ocorre porque o vírus afeta as células nervosas ligadas à sensação do cheiro, que também afeta o paladar.

A perda olfativa, na pessoa que está com Covid-19, é diferente daquela que acontece durante uma gripe ou um resfriado: ela tende a ser mais severa e repentina, e normalmente não está relacionada à congestão nasal, como nos outros casos.

É importante frisar que tanto a anosmia quanto a ageusia podem ser os únicos sintomas da Covid-19. Além disso, eles se destacam por poder permanecer durante meses após a remissão do vírus. Caso seja o seu caso, isso não significa que você ainda está com a infecção, mas que seu corpo ainda está se recuperando dela.

Febre

A febre é caracterizada por uma elevação da temperatura axilar acima dos 37,2ºC. Ela é considerada um sinal clássico de quadros infecciosos, como aqueles causados por bactérias, fungos ou vírus. Outras doenças que podem causá-la são as doenças autoimunes e o câncer.

A febre é um sintoma comum da Covid-19, podendo ser prolongada ou intermitente. Portanto, vale a pena ter sempre um termômetro à mão, para os casos em que você sinta uma diferença na temperatura ou sintomas associados à febre — como os calafrios e os “arrepios”.

E cuidado! A febre pode não ser constante e nem sempre estar presente na pessoa infectada pelo coronavírus. Por isso, não é aconselhável confiar apenas naquelas medições que são feitas na entrada de alguns estabelecimentos.

Queixas gastrointestinais

Náuseas, vômitos, diarreia e dores abdominais são sintomas menos comuns na Covid-19. Por isso, eles não eram valorizados para o diagnóstico da doença e poderiam, no início da pandemia, passar despercebidos. Atualmente, no entanto, eles já são considerados parte dos critérios diagnósticos da infecção pelo coronavírus — e, por isso, é importante ter atenção a eles.

No entanto, assim como a tosse, as queixas gastrointestinais, não são específicas da COVID e são comuns em diversas outras patologias, como as gastroenterites virais e bacterianas e até podem ter origem emocional. Uma característica que pode sugerir outras causas é a presença de elementos anormais nas fezes (como sangue e muco).

Dores musculares

As dores musculares (conhecidas tecnicamente como mialgia) podem ser um dos sintomas da Covid-19. Elas ocorrem, principalmente, devido à resposta inflamatória intensa contra o vírus, podendo ser inclusive um sinal de alarme em casos mais graves.

Além de dores nos músculos propriamente ditos, outros locais também podem se apresentar mais doloridos na Covid-19. É o caso, por exemplo, das articulações e da dor de cabeça, que também podem estar presentes.

Falta de ar

A falta de ar, também conhecida como dispneia, é caracterizada pela dificuldade de respirar. Como o coronavírus infecta, principalmente, a via aérea, ele pode causar diversas alterações que levam a essa dificuldade. Entre os processos que podem explicá-la estão o acúmulo de secreções na via aérea, microtrombos nos pulmões e a intensa resposta inflamatória do sistema imunológico.

A dificuldade de respirar, cansaço para andar ou fazer qualquer atividade, são sinais que indicam a necessidade de avaliação médica. Por esse motivo, caso você venha a apresentá-los, é importante procurar com urgência o serviço de atendimento mais próximo e buscar assistência o mais rápido possível.

O cenário da pandemia pelo coronavírus gerou alterações significativas em nosso dia a dia. Apesar de ainda termos muito o que aprender sobre os sintomas da Covid-19, ter atenção a eles ajuda a nos protegermos e àqueles que nos cercam. Dessa maneira, conseguimos identificar a doença em seus estágios iniciais e tomar as providências.

Cabe ressaltar que as informações disponíveis na internet (incluindo as deste artigo) jamais substituem uma consulta médica. Caso você perceba qualquer um desses sintomas, é recomendada uma consulta a um profissional habilitado para guiar o diagnóstico e o tratamento. Não se esqueça que apenas o exame consegue diferenciar a Covid-19 de outras doenças, e que as medidas preventivas devem ser tomadas mesmo antes de seu resultado.

Se você quer se proteger ainda mais, conhecer os testes para a Covid-19 é essencial. Saiba mais sobre eles e fique sempre atualizado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Autocuidado

Conheça 8 dicas práticas para ter uma rotina saudável

É muito comum ouvirmos que devemos adotar uma rotina saudável. Essa ideia está presente na mídia, nos consultórios médicos e até nas rodas de conversa em família. Mas, afinal, o que isso significa? A verdade é que depende. Não há uma única...

Autocuidado

Saiba como os exercícios físicos ajudam na sua saúde

Você já deve ter ouvido falar sobre como exercícios físicos ajudam na saúde, certo? Mas, afinal, qual é a relevância desse hábito para o nosso dia a dia? Apenas se exercitar é o suficiente para ter um organismo mais saudável? E como praticá-los da...

Saúde

O que é Novembro Azul? Entenda o mês de prevenção ao câncer de próstata

Quando o assunto é câncer, todo mundo fica um pouco assustado. Não é para menos, já que essa é uma doença séria, podendo ser fatal. No entanto, uma das principais medidas para evitar esse desfecho é o diagnóstico precoce, um dos principais temas...

Quais são os principais sintomas da Covid-19? Sinais para ficar atento; Em meio a uma pandemia, é importante estar sempre alerta aos primeiros sinais da doença — e isso não é diferente com os sintomas da Covid-19. Saber identificá-los ainda nas fases iniciais da enfermidade pode ser essencial para um diagnóstico precoce e, consequentemente, para uma melhor recuperação. Diagnosticar a doença também é importante para que o paciente tome os devidos cuidados para evitar o contágio de outras pessoas. O diagnóstico rápido é um cuidado com nós mesmos e com aqueles que a gente ama; para isso, os testes para a Covid-19 são essenciais. Como sabemos, a contaminação ocorre pelo contato direto com um indivíduo infectado, seja por gotículas salivares, pela respiração ou compartilhando objetos. Os próprios sintomas, como a tosse e os espirros, também facilitam a disseminação do vírus. Dada a importância do diagnóstico precoce da Covid-19, traremos a seguir 6 de seus sintomas mais comuns. Falaremos das diferenças entre eles e sobre quando você deve procurar atendimento médico, caso apresente algum deles. Continue com a gente para saber mais! Tosse A tosse é um sintoma comum, com a qual a maioria das pessoas já está habituada. Ela é uma resposta natural do organismo para proteger nossas vias aéreas de partículas ou microorganismos — por isso tossimos, por exemplo, quando engasgamos ou quando estamos resfriados. No caso da Covid-19, a tosse nos ajuda a "expulsar" o vírus e a impedir que ele se aprofunde nos pulmões. Além disso, o vírus também causa um inchaço e inflamação da mucosa respiratória, o que gera um outro estímulo para a tosse. Na maioria dos casos da contaminação pelo SARS-CoV-2, a tosse é do tipo irritativa e seca, podendo vir acompanhada de secreções. Ela pode persistir por semanas ou meses, mesmo em pessoas que já foram curadas da infecção. Cabe frisar, no entanto, que a tosse geralmente vem acompanhada de outros sintomas na Covid-19. Além de um sintoma, a tosse também é um importante veículo de transmissão do coronavírus: de acordo com um recente artigo publicado no JAMA (Journal of the American Medical Association), as gotículas contidas em uma tosse podem alcançar até 8 metros, carregando consigo o SARS-CoV-2. Por isso, é fundamental o uso de máscaras — que fornecem uma barreira física contra essas gotículas, reduzindo a transmissão. Embora a tosse seja um sintoma comum da Covid-19, ela não é exclusiva dessa doença. Como já mencionamos, ela é um sinal que pode surgir em outras situações, como, por exemplo, em um resfriado comum. Caso você apresente episódios de tosse, o melhor a fazer é procurar um profissional da saúde para avaliar seu quadro atual. Perda de olfato e paladar Damos o nome de anosmia e ageusia, respectivamente, para a perda do olfato e do paladar. Esses sintomas se destacam em relação aos demais por serem um pouco mais específicos da Covid-19, sendo considerados especialmente úteis no diagnóstico. A perda desses sentidos ocorre porque o vírus afeta as células nervosas ligadas à sensação do cheiro, que também afeta o paladar. A perda olfativa, na pessoa que está com Covid-19, é diferente daquela que acontece durante uma gripe ou um resfriado: ela tende a ser mais severa e repentina, e normalmente não está relacionada à congestão nasal, como nos outros casos. É importante frisar que tanto a anosmia quanto a ageusia podem ser os únicos sintomas da Covid-19. Além disso, eles se destacam por poder permanecer durante meses após a remissão do vírus. Caso seja o seu caso, isso não significa que você ainda está com a infecção, mas que seu corpo ainda está se recuperando dela. Febre A febre é caracterizada por uma elevação da temperatura axilar acima dos 37,2ºC. Ela é considerada um sinal clássico de quadros infecciosos, como aqueles causados por bactérias, fungos ou vírus. Outras doenças que podem causá-la são as doenças autoimunes e o câncer. A febre é um sintoma comum da Covid-19, podendo ser prolongada ou intermitente. Portanto, vale a pena ter sempre um termômetro à mão, para os casos em que você sinta uma diferença na temperatura ou sintomas associados à febre — como os calafrios e os "arrepios". E cuidado! A febre pode não ser constante e nem sempre estar presente na pessoa infectada pelo coronavírus. Por isso, não é aconselhável confiar apenas naquelas medições que são feitas na entrada de alguns estabelecimentos. Queixas gastrointestinais Náuseas, vômitos, diarreia e dores abdominais são sintomas menos comuns na Covid-19. Por isso, eles não eram valorizados para o diagnóstico da doença e poderiam, no início da pandemia, passar despercebidos. Atualmente, no entanto, eles já são considerados parte dos critérios diagnósticos da infecção pelo coronavírus — e, por isso, é importante ter atenção a eles. No entanto, assim como a tosse, as queixas gastrointestinais, não são específicas da COVID e são comuns em diversas outras patologias, como as gastroenterites virais e bacterianas e até podem ter origem emocional. Uma característica que pode sugerir outras causas é a presença de elementos anormais nas fezes (como sangue e muco). Dores musculares As dores musculares (conhecidas tecnicamente como mialgia) podem ser um dos sintomas da Covid-19. Elas ocorrem, principalmente, devido à resposta inflamatória intensa contra o vírus, podendo ser inclusive um sinal de alarme em casos mais graves. Além de dores nos músculos propriamente ditos, outros locais também podem se apresentar mais doloridos na Covid-19. É o caso, por exemplo, das articulações e da dor de cabeça, que também podem estar presentes. Falta de ar A falta de ar, também conhecida como dispneia, é caracterizada pela dificuldade de respirar. Como o coronavírus infecta, principalmente, a via aérea, ele pode causar diversas alterações que levam a essa dificuldade. Entre os processos que podem explicá-la estão o acúmulo de secreções na via aérea, microtrombos nos pulmões e a intensa resposta inflamatória do sistema imunológico. A dificuldade de respirar, cansaço para andar ou fazer qualquer atividade, são sinais que indicam a necessidade de avaliação médica. Por esse motivo, caso você venha a apresentá-los, é importante procurar com urgência o serviço de atendimento mais próximo e buscar assistência o mais rápido possível. O cenário da pandemia pelo coronavírus gerou alterações significativas em nosso dia a dia. Apesar de ainda termos muito o que aprender sobre os sintomas da Covid-19, ter atenção a eles ajuda a nos protegermos e àqueles que nos cercam. Dessa maneira, conseguimos identificar a doença em seus estágios iniciais e tomar as providências. Cabe ressaltar que as informações disponíveis na internet (incluindo as deste artigo) jamais substituem uma consulta médica. Caso você perceba qualquer um desses sintomas, é recomendada uma consulta a um profissional habilitado para guiar o diagnóstico e o tratamento. Não se esqueça que apenas o exame consegue diferenciar a Covid-19 de outras doenças, e que as medidas preventivas devem ser tomadas mesmo antes de seu resultado. Se você quer se proteger ainda mais, conhecer os testes para a Covid-19 é essencial. Saiba mais sobre eles e fique sempre atualizado!

Olá! Nosso site utiliza cookies para que possamos otimizar o atendimento que prestamos a você. Ao utilizar nosso site, você concorda com uso deles. Para saber mais, leia nossa política de privacidade.