Sabin Por: Sabin
Leitura
8min 10s
OUVIR 00:00
AAA

A pneumonia em crianças é uma condição muito comum. Isso porque se trata de uma reação inflamatória do pulmão provocada por vários agentes, tais como microrganismos, vírus, bactérias, reações alérgicas e demais, sendo vista como um grande risco quando não identificada e tratada.

Apesar de existirem exames para diagnosticar a doença com segurança, não deixa de ser um assunto preocupante. Pensando nisso, conversamos com a Dra. Sara Habka, médica pneumologista pediatra, com título em área de atuação em pneumologia pediátrica pela SBPT/SBP. , e elaboramos este conteúdo para esclarecer as principais dúvidas quanto à pneumonia em crianças. Você vai entender, por exemplo, quais são as causas e os sintomas, como realizar o diagnóstico e como proceder com o tratamento, entre outras informações relevantes. Confira!

Quais são as principais causas da pneumonia em crianças?

A pneumonia infantil é causada por vírus que surge com complicação da gripe, e pode estar associada com o adenovírus, o Influenza, o vírus sincicial respiratório, entre outros, explica a médica. Também pode ser provocada por bactérias que, na maioria dos casos, estão relacionadas com Streptococcus pneumoniae, Staphylococcus aureus e Haemophilus influenza. Entre os fatores de risco, podemos apontar:

  • desnutrição;
  • falta de aleitamento materno;
  • deficiência de vitamina A;
  • exposição à fumaça de cigarro;
  • falta de imunização adequada com as vacinas para combater doenças que predispõem à pneumonia.

Como um quadro de pneumonia se desenvolve?

De forma geral, as pneumonias são precedidas por infecções de vias aéreas superiores (infecção de ouvido, garganta, resfriados). As pneumonias virais podem ter início mais gradual, com o surgimento de dor de cabeça, mal-estar, tosse e febre baixa.

Já as pneumonias bacterianas podem apresentar febre alta, tosse produtiva, dor no abdome e no tórax, dificuldade de se alimentar, queda do estado geral.

Por que a pneumonia é tão comum e perigosa?

Além de ser uma das doenças mais comuns em crianças, os sintomas da pneumonia infantil são parecidos com uma gripe. Isso pode fazer com que os pais demorem a levar os filhos ao médico para realizar um diagnóstico preciso, fazendo com que os sintomas se agravem com o decorrer do tempo. Por exemplo, quando o tratamento não é iniciado em tempo hábil, complicações com insuficiência respiratória podem surgir.

Quais são os principais sintomas da pneumonia?

Os sintomas da pneumonia em crianças podem aparecer alguns dias após o contato com o agente infeccioso responsável pela doença. Nesse caso, podem ser observados:

  • febre;
  • falta de apetite;
  • tosse com catarro;
  • respiração mais rápida e curta;
  • cansaço fácil, onde não há vontade de brincar;
  • esforço para respirar com movimentação elevada nas costelas.

“É importante deixar claro que a criança deve ser encaminhada ao pediatra assim que forem identificados os sinais e sintomas que caracterizam a pneumonia”, avisa Dra. Sara. A criança que está prostrada, pálida, com lábios ou dedos arroxeados, com aparência debilitada está apresentando sinais de gravidade da doença e precisa ser levada ao pronto socorro.

Dessa forma, é possível que o diagnóstico correto seja realizado e o tratamento iniciado. Tomar medidas rápidas é um aspecto relevante para prevenir as complicações que a doença pode gerar.

O que fazer no caso de identificar pneumonia?

A médica pneumologista explica que o diagnóstico de pneumonia aguda é clínico. No entanto, existem exames específicos que auxiliam o diagnóstico diferencial e distinguem as infecções virais das bacterianas, como a pró-calcitonina, a proteína C-reativa, a pesquisa de vírus respiratórios em vias aéreas superiores e a hemocultura.

A radiografia de tórax serve para confirmar o achado clínico de pneumonia, para avaliar se há sinais de complicações e para avaliar a extensão da pneumonia. Não existe padrão radiológico típico de determinado agente viral ou bacteriano.

Na pneumonia viral, é oferecido todo suporte necessário e tratamento dos sintomas que a criança apresenta. No caso da pneumonia bacteriana também é oferecido suporte e tratamento sintomático, bem como a administração de antibiótico, de acordo com a prescrição médica. Na maioria dos casos, os sintomas são tratados em casa. Apenas os casos mais complicados precisam de internação.

As nebulizações de forma geral não são necessárias, a não ser que a criança tenha asma. Para as crianças com muita obstrução nasal por secreção, recomenda-se a higiene nasal com soro fisiológico 0,9% de forma frequente. O repouso é essencial para recuperação de qualquer doença, e a criança deve ser mantida bem hidratada.

Qual a importância da vacinação para prevenir a pneumonia?

As pneumonias agudas podem ser precedidas por infecções de vias aéreas superiores (IVAS), dentre as mais comuns, a gripe, o resfriado, a otite e a amigdalite. O programa de imunização inclui vacinas que protegem contra vários agentes, como a vacina contra a gripe e a vacina contra o pneumococo.

Essas vacinas, dentre outras, protegem as crianças contra os tipos mais graves desses agentes. Por exemplo, a vacina da gripe pode proteger contra três ou quatro tipos do vírus influenza. É preciso ressaltar que ela não evita que a criança tenha gripe, mas sim o desenvolvimento de gripe de forma mais grave. Portanto, ajuda a prevenir também o acometimento da pneumonia.

Como proteger as crianças da pneumonia?

Como já foi apresentado no decorrer do conteúdo, diversos são os fatores de risco para desenvolvimento de quadros respiratórios, incluindo maiores riscos de ter pneumonias ou desencadear crises de asma infantil.

As crianças que não foram vacinadas corretamente, não tiveram o aleitamento materno por, no mínimo, os primeiros 6 meses de vida, que não estão recebendo uma boa nutrição ou que permanecem em ambientes fechados e com aglomeração também têm maiores risco de desenvolver pneumonias.

Então, por se tratar de uma infecção frequente, é importante atentar para as seguintes práticas de prevenção:

  • manter o cartão de vacinas atualizado;
  • administrar uma alimentação saudável;
  • manter um bom estado nutricional;
  • evitar a exposição a agentes como cigarro e poluição;
  • evitar locais com aglomerações em ambientes fechados;
  • deixar a criança sempre bem hidratada etc.

Apesar dos sintomas, fatores de risco e possibilidades do agravamento em alguns casos, as perspectivas de melhora da pneumonia em crianças são satisfatórias. Mas, para isso, é importante ficar atento aos sinais e sintomas, e recorrer ao médico ao observar maiores complicações. Assim, ele vai realizar um diagnóstico preciso e indicar o melhor tratamento de acordo com as condições clínicas do paciente.

Este conteúdo foi interessante para você? Então, aproveite sua visita para assinar nossa newsletter e receber informações relevantes e atualizadas sobre temas de saúde e bem-estar em sua caixa de e-mail!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Saúde

Qual a função do baço? Saiba onde fica localizado este órgão

Muito se fala sobre órgãos como o coração, os pulmões e os rins. É bem provável que você saiba quais são as suas funções e até onde cada um deles está localizado em nosso corpo. No entanto, há outros pouco conhecidos em nosso organismo e, ainda...

Saúde

Exames hematológicos: você sabe o que eles avaliam e quais são os principais?

Você com certeza já precisou fazer um exame de sangue, certo? Esses testes são utilizados para identificar uma grande variedade de alterações em nosso organismo, todas a partir de amostras coletadas em poucos minutos. É uma ferramenta muito preciosa...

Genética

Você conhece as doenças causadas por mutações genéticas? Descubra quais são

Você sabia que é estimado que cada célula humana disponha de 2m de DNA — que está lá, no núcleo, enrolado em torno do próprio eixo? Temos trilhões e trilhões de células em nosso corpo. Então, imagine quantos quilômetros de informações...

Como identificar pneumonia em crianças e o que fazer?; A pneumonia em crianças é uma condição muito comum. Isso porque se trata de uma reação inflamatória do pulmão provocada por vários agentes, tais como microrganismos, vírus, bactérias, reações alérgicas e demais, sendo vista como um grande risco quando não identificada e tratada. Apesar de existirem exames para diagnosticar a doença com segurança, não deixa de ser um assunto preocupante. Pensando nisso, conversamos com a Dra. Sara Habka, médica pneumologista pediatra, com título em área de atuação em pneumologia pediátrica pela SBPT/SBP. , e elaboramos este conteúdo para esclarecer as principais dúvidas quanto à pneumonia em crianças. Você vai entender, por exemplo, quais são as causas e os sintomas, como realizar o diagnóstico e como proceder com o tratamento, entre outras informações relevantes. Confira! Quais são as principais causas da pneumonia em crianças? A pneumonia infantil é causada por vírus que surge com complicação da gripe, e pode estar associada com o adenovírus, o Influenza, o vírus sincicial respiratório, entre outros, explica a médica. Também pode ser provocada por bactérias que, na maioria dos casos, estão relacionadas com Streptococcus pneumoniae, Staphylococcus aureus e Haemophilus influenza. Entre os fatores de risco, podemos apontar: desnutrição;falta de aleitamento materno;deficiência de vitamina A;exposição à fumaça de cigarro;falta de imunização adequada com as vacinas para combater doenças que predispõem à pneumonia. Como um quadro de pneumonia se desenvolve? De forma geral, as pneumonias são precedidas por infecções de vias aéreas superiores (infecção de ouvido, garganta, resfriados). As pneumonias virais podem ter início mais gradual, com o surgimento de dor de cabeça, mal-estar, tosse e febre baixa. Já as pneumonias bacterianas podem apresentar febre alta, tosse produtiva, dor no abdome e no tórax, dificuldade de se alimentar, queda do estado geral. Por que a pneumonia é tão comum e perigosa? Além de ser uma das doenças mais comuns em crianças, os sintomas da pneumonia infantil são parecidos com uma gripe. Isso pode fazer com que os pais demorem a levar os filhos ao médico para realizar um diagnóstico preciso, fazendo com que os sintomas se agravem com o decorrer do tempo. Por exemplo, quando o tratamento não é iniciado em tempo hábil, complicações com insuficiência respiratória podem surgir. Quais são os principais sintomas da pneumonia? Os sintomas da pneumonia em crianças podem aparecer alguns dias após o contato com o agente infeccioso responsável pela doença. Nesse caso, podem ser observados: febre;falta de apetite;tosse com catarro;respiração mais rápida e curta;cansaço fácil, onde não há vontade de brincar;esforço para respirar com movimentação elevada nas costelas. "É importante deixar claro que a criança deve ser encaminhada ao pediatra assim que forem identificados os sinais e sintomas que caracterizam a pneumonia", avisa Dra. Sara. A criança que está prostrada, pálida, com lábios ou dedos arroxeados, com aparência debilitada está apresentando sinais de gravidade da doença e precisa ser levada ao pronto socorro. Dessa forma, é possível que o diagnóstico correto seja realizado e o tratamento iniciado. Tomar medidas rápidas é um aspecto relevante para prevenir as complicações que a doença pode gerar. O que fazer no caso de identificar pneumonia? A médica pneumologista explica que o diagnóstico de pneumonia aguda é clínico. No entanto, existem exames específicos que auxiliam o diagnóstico diferencial e distinguem as infecções virais das bacterianas, como a pró-calcitonina, a proteína C-reativa, a pesquisa de vírus respiratórios em vias aéreas superiores e a hemocultura. A radiografia de tórax serve para confirmar o achado clínico de pneumonia, para avaliar se há sinais de complicações e para avaliar a extensão da pneumonia. Não existe padrão radiológico típico de determinado agente viral ou bacteriano. Na pneumonia viral, é oferecido todo suporte necessário e tratamento dos sintomas que a criança apresenta. No caso da pneumonia bacteriana também é oferecido suporte e tratamento sintomático, bem como a administração de antibiótico, de acordo com a prescrição médica. Na maioria dos casos, os sintomas são tratados em casa. Apenas os casos mais complicados precisam de internação. As nebulizações de forma geral não são necessárias, a não ser que a criança tenha asma. Para as crianças com muita obstrução nasal por secreção, recomenda-se a higiene nasal com soro fisiológico 0,9% de forma frequente. O repouso é essencial para recuperação de qualquer doença, e a criança deve ser mantida bem hidratada. Qual a importância da vacinação para prevenir a pneumonia? As pneumonias agudas podem ser precedidas por infecções de vias aéreas superiores (IVAS), dentre as mais comuns, a gripe, o resfriado, a otite e a amigdalite. O programa de imunização inclui vacinas que protegem contra vários agentes, como a vacina contra a gripe e a vacina contra o pneumococo. Essas vacinas, dentre outras, protegem as crianças contra os tipos mais graves desses agentes. Por exemplo, a vacina da gripe pode proteger contra três ou quatro tipos do vírus influenza. É preciso ressaltar que ela não evita que a criança tenha gripe, mas sim o desenvolvimento de gripe de forma mais grave. Portanto, ajuda a prevenir também o acometimento da pneumonia. Como proteger as crianças da pneumonia? Como já foi apresentado no decorrer do conteúdo, diversos são os fatores de risco para desenvolvimento de quadros respiratórios, incluindo maiores riscos de ter pneumonias ou desencadear crises de asma infantil. As crianças que não foram vacinadas corretamente, não tiveram o aleitamento materno por, no mínimo, os primeiros 6 meses de vida, que não estão recebendo uma boa nutrição ou que permanecem em ambientes fechados e com aglomeração também têm maiores risco de desenvolver pneumonias. Então, por se tratar de uma infecção frequente, é importante atentar para as seguintes práticas de prevenção: manter o cartão de vacinas atualizado;administrar uma alimentação saudável;manter um bom estado nutricional;evitar a exposição a agentes como cigarro e poluição;evitar locais com aglomerações em ambientes fechados;deixar a criança sempre bem hidratada etc. Apesar dos sintomas, fatores de risco e possibilidades do agravamento em alguns casos, as perspectivas de melhora da pneumonia em crianças são satisfatórias. Mas, para isso, é importante ficar atento aos sinais e sintomas, e recorrer ao médico ao observar maiores complicações. Assim, ele vai realizar um diagnóstico preciso e indicar o melhor tratamento de acordo com as condições clínicas do paciente. Este conteúdo foi interessante para você? Então, aproveite sua visita para assinar nossa newsletter e receber informações relevantes e atualizadas sobre temas de saúde e bem-estar em sua caixa de e-mail!