Sabin Por: Sabin
Leitura
10min 27s
OUVIR 00:00
AAA

Você já ouviu falar sobre ISTs? Essa é a sigla para infecções sexualmente transmissíveis (outrora conhecidas como doenças sexualmente transmissíveis), ou seja, doenças transmitidas por meio do contato sexual (seja vaginal, oral ou anal).

Esse tipo de problema de saúde é carregado de tabus e muito preconceito. No entanto, são situações graves que devem ser parte do diálogo na sociedade. Afinal, essa é a única maneira de superarmos tais obstáculos e garantirmos a saúde de toda a população!

Por isso é importante saber o que é Dezembro Vermelho, um mês que tem como objetivo trazer informação e conscientização sobre essas infecções. E você, quer entender mais sobre elas e fazer parte dessa corrente de saúde e qualidade de vida? Então, vem com o Sabin e confira algumas informações passadas para a gente pelo Dr. Alexandre Cunha, Consultor Médico do Sabin Medicina Diagnóstica. Vamos lá?

O que significa a campanha Dezembro Vermelho?

A campanha Dezembro Vermelho surgiu em 2017, a partir da Lei nº 13.504. O seu objetivo é levar informação às pessoas sobre as infecções sexualmente transmissíveis, ressaltando pontos como:

  • o que são essas doenças;
  • como elas são transmitidas;
  • como é possível se contaminar com elas;
  • quais são os seus agentes causadores;
  • quais são os seus principais sintomas;
  • como é feito o diagnóstico;
  • quais são os tratamentos;
  • como são os métodos de prevenção.

A prevenção é o principal foco da campanha, que visa diminuir o número de casos de problemas relacionados ao contágio sexual.

Quais as principais ISTs?

Conheça a seguir as principais ISTs:

Herpes

É uma doença que não tem cura, apenas controle. Causada por um vírus, é caracterizada por bolhas e feridas na região das mucosas, como a genitália e a boca.

Sífilis

É uma infecção gerada por uma bactéria. Ao contrário da herpes, é curável e o seu tratamento envolve o uso de antibióticos. É uma doença que pode causar morte fetal caso afete uma gestante.

Gonorreia

A gonorreia, originária de uma bactéria, é uma das ISTs mais transmissíveis que temos notícia. Ela também é tratada com o uso de antibióticos e pode trazer prejuízos para o bebê em caso de gestação.

Tricomoníase

Causada por um protozoário, a tricomoníase tem cura, mas é uma doença bem desconfortável. Seus sintomas incluem coceira, dor na região genital e um corrimento com odor forte.

HPV

Incurável, o HPV é uma patologia que causa verrugas na região genital e anal dos pacientes acometidos. Nas mulheres, é um causador do câncer de colo do útero. É evitável com a vacinação.

Hepatite B

Outra doença que também pode ser evitada com a vacinação, a hepatite B é gerada por um vírus que afeta principalmente o fígado dos pacientes.

AIDS

Por fim, temos a AIDS, doença causada pelo vírus HIV. Ela não tem cura e é potencialmente fatal, ainda que hoje tenha tratamentos muito eficientes. Exige comprometimento do paciente ao tratamento para evitar consequências graves.

Qual é a situação epidemiológica das ISTs atualmente? 

As ISTs, no Brasil, estão sob controle muito superior do que o que era observado há alguns anos. A AIDS, por exemplo, era uma sentença de morte quando surgiu na década de 80, mas hoje é considerada crônica, com tratamento e controle, e apresenta uma certa queda no número de novos casos.

O grupo mais comumente afetado por essas doenças são os jovens (especialmente os que não conviveram com a massiva propaganda de preservativos nos anos 90 e 2000).

No entanto, o número de casos entre pessoas mais velhas (e até mesmo idosos) também tem demonstrado um crescimento acentuado nos últimos anos.

Quais são os principais tipos de exames para IST?

Isso depende. Os exames solicitados não são uma “receita de bolo”, sendo personalizados a cada pessoa, situação, hábitos, estilo de vida, entre outros detalhes que devem ser levados em consideração.

Na maior parte das vezes, são feitos testes de sorologia. Eles são obtidos a partir de uma amostra de sangue analisada em laboratório. Normalmente, são realizados rapidamente, com resultados em poucas horas.

No entanto, em alguns casos, o check-up envolve também outros tipos de exame, especialmente quando o paciente parece ter sintomas. Por isso, é necessário conversar com o profissional de saúde responsável pelo seu acompanhamento.

Quais são as principais formas de prevenção? 

Confira, a seguir, o infográfico com os principais métodos de prevenção das ISTs:

Além das maneiras mencionadas acima, há outras formas de prevenção que não podem deixar de ser listadas. Vamos conferir mais sobre elas a seguir!

Reduzir o número de parceiros

Essa é uma maneira de limitar as suas chances de entrar em contato com algum vírus ou bactéria causador de uma IST. No entanto, não se preocupe: a prática do sexo seguro ainda é a melhor prevenção, ainda que você tenha muitos parceiros.

Evitar compartilhar objetos perfurantes

Algumas ISTs, como a AIDS, são também causadas pelo compartilhamento de objetos perfurantes, como agulhas. É por isso que há uma incidência grande desse problema entre usuários de drogas. No entanto, é fundamental se cuidar independentemente de qual seja a natureza do objeto compartilhado.

Fazer procedimentos estéticos apenas em locais confiáveis

Por causa dos objetos perfurantes, é necessário que você escolha bons locais para fazer procedimentos estéticos, como liftings, tatuagens e colocação de piercings. Desse modo, garantirá que todo o processo de esterilização seja feito da maneira correta e que a sua segurança não fique em jogo!

Usar camisinha

Além disso, vale a pena ressaltar a importância do preservativo durante as práticas sexuais. Em alguns casos, como na AIDS, ele protege as pessoas 100% do contágio, já que a contaminação depende dos fluidos corporais.

No caso da herpes e outras ISTs, a taxa de prevenção não chega a tanto, mas reduz consideravelmente. Isso porque o contato com verrugas que estejam em outras áreas íntimas, que não são cobertas pela camisinha, também pode gerar a infecção. 

Por fim, dois pontos de relevância. O primeiro: a contaminação por ISTs não acontece apenas com a ejaculação masculina. É por isso que a prática sexual entre mulheres também pode ocasionar a transmissão. Ou seja: se proteja, independentemente de qual seja a sua orientação sexual.

O segundo: estar em um relacionamento estável não quer dizer, necessariamente, que você está imune às ISTs. Infelizmente, novos dados mostram que cada vez mais mulheres casadas e com um único parceiro são contaminadas com o vírus HIV e outras infecções sexualmente transmissíveis. Sendo assim, cuide de você acima de tudo.

Como são os tratamentos para as ISTs atualmente?

Os tratamentos também variam de acordo com as ISTs. Em alguns casos, são utilizados antibióticos. Em outros, é aplicado apenas o tratamento de suporte

No caso da AIDS, por exemplo, o paciente toma uma série de remédios. Eles têm como objetivo adormecer o vírus, fazendo com que o microrganismo se multiplique mais lentamente, deixando o corpo da pessoa afetada em equilíbrio.

Em outros casos, o paciente terá problemas secundários à doença, como alterações renais, hepáticas e de pele, o que exige cuidados específicos. Por isso, cada indivíduo será tratado de uma forma personalizada.

Por que o sexo seguro ainda deve ser priorizado?

Seja para cuidar da saúde da mulher e do homem e para evitar problemas com as ISTs, é essencial o sexo seguro — com a utilização de preservativos.

O método de barreira, como é conhecido, é o melhor aliado contra esses tipos de infecção. Afinal, outras medidas — como a abstenção sexual — não condizem com o estilo de vida de muitas pessoas. É possível se relacionar tranquilamente, desde que sejamos responsáveis!

Lembrando que há infecções que são adquiridas até mesmo pelo sexo oral. Por isso, é importante usar proteção em todos os tipos de práticas sexuais.

Por que o Dezembro Vermelho é importante para combater estigmas?

Quando não falamos sobre algo, isso se torna um assunto sobre o qual supostamente não devemos falar, torna-se um tabu. Por isso, conscientizar a população é uma forma de normalizar esse tema, fazendo com que ele seja parte das rodas de conversa e se insira no dia a dia da população.

Isso ajuda a reduzir o preconceito e os casos de infecções sexualmente transmissíveis, tanto pelo cuidado que as pessoas passam a ter consigo mesmas, quanto com os outros. Por isso, fale sobre o Dezembro Vermelho com quem você conhece!

Como podemos ver, a campanha Dezembro Vermelho é de extrema importância para a conscientização da população acerca das infecções sexualmente transmissíveis. Agora que você já tem todas essas informações, se previna e oriente as pessoas que você conhece sobre essas medidas tão importantes!

Para finalizar, separamos um artigo que fala sobre outro tema importantíssimo: o Novembro Azul. Confira informações preciosas sobre o câncer de próstata e a prevenção dele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Autocuidado

Dicas do Sabin: saiba como melhorar a qualidade do sono

Dormir bem é um hábito essencial na vida de qualquer pessoa, tendo em vista que durante o sono o organismo executa funções restauradoras e importantes para a saúde física e mental. Estamos falando de reposição de energias, reparo dos tecidos,...

Autocuidado

Descubra como montar um cronograma de exercícios físicos personalizado

Manter o corpo ativo faz parte das estratégias para cuidar da saúde. Assim como faria no planejamento de uma alimentação saudável, você precisa organizar a rotina de modo que inclua a prática de esportes e outras atividades. E o primeiro passo é...

Autocuidado

Conheça mais sobre a prática do Yoga e seus benefícios para a saúde

A prática regular da Yoga pode proporcionar benefícios como melhorias no sistema cardíaco e respiratório, controle do estresse e ansiedade, maior equilíbrio, fortalecimento do tônus muscular e demais aspectos que vão contribuir de forma ativa para que...

O que é Dezembro Vermelho e qual seu papel na prevenção de ISTs?; Você já ouviu falar sobre ISTs? Essa é a sigla para infecções sexualmente transmissíveis (outrora conhecidas como doenças sexualmente transmissíveis), ou seja, doenças transmitidas por meio do contato sexual (seja vaginal, oral ou anal). Esse tipo de problema de saúde é carregado de tabus e muito preconceito. No entanto, são situações graves que devem ser parte do diálogo na sociedade. Afinal, essa é a única maneira de superarmos tais obstáculos e garantirmos a saúde de toda a população! Por isso é importante saber o que é Dezembro Vermelho, um mês que tem como objetivo trazer informação e conscientização sobre essas infecções. E você, quer entender mais sobre elas e fazer parte dessa corrente de saúde e qualidade de vida? Então, vem com o Sabin e confira algumas informações passadas para a gente pelo Dr. Alexandre Cunha, Consultor Médico do Sabin Medicina Diagnóstica. Vamos lá? O que significa a campanha Dezembro Vermelho? A campanha Dezembro Vermelho surgiu em 2017, a partir da Lei nº 13.504. O seu objetivo é levar informação às pessoas sobre as infecções sexualmente transmissíveis, ressaltando pontos como: o que são essas doenças;como elas são transmitidas;como é possível se contaminar com elas;quais são os seus agentes causadores;quais são os seus principais sintomas;como é feito o diagnóstico;quais são os tratamentos;como são os métodos de prevenção. A prevenção é o principal foco da campanha, que visa diminuir o número de casos de problemas relacionados ao contágio sexual. Quais as principais ISTs? Conheça a seguir as principais ISTs: Herpes É uma doença que não tem cura, apenas controle. Causada por um vírus, é caracterizada por bolhas e feridas na região das mucosas, como a genitália e a boca. Sífilis É uma infecção gerada por uma bactéria. Ao contrário da herpes, é curável e o seu tratamento envolve o uso de antibióticos. É uma doença que pode causar morte fetal caso afete uma gestante. Gonorreia A gonorreia, originária de uma bactéria, é uma das ISTs mais transmissíveis que temos notícia. Ela também é tratada com o uso de antibióticos e pode trazer prejuízos para o bebê em caso de gestação. Tricomoníase Causada por um protozoário, a tricomoníase tem cura, mas é uma doença bem desconfortável. Seus sintomas incluem coceira, dor na região genital e um corrimento com odor forte. HPV Incurável, o HPV é uma patologia que causa verrugas na região genital e anal dos pacientes acometidos. Nas mulheres, é um causador do câncer de colo do útero. É evitável com a vacinação. Hepatite B Outra doença que também pode ser evitada com a vacinação, a hepatite B é gerada por um vírus que afeta principalmente o fígado dos pacientes. AIDS Por fim, temos a AIDS, doença causada pelo vírus HIV. Ela não tem cura e é potencialmente fatal, ainda que hoje tenha tratamentos muito eficientes. Exige comprometimento do paciente ao tratamento para evitar consequências graves. Qual é a situação epidemiológica das ISTs atualmente?  As ISTs, no Brasil, estão sob controle muito superior do que o que era observado há alguns anos. A AIDS, por exemplo, era uma sentença de morte quando surgiu na década de 80, mas hoje é considerada crônica, com tratamento e controle, e apresenta uma certa queda no número de novos casos. O grupo mais comumente afetado por essas doenças são os jovens (especialmente os que não conviveram com a massiva propaganda de preservativos nos anos 90 e 2000). No entanto, o número de casos entre pessoas mais velhas (e até mesmo idosos) também tem demonstrado um crescimento acentuado nos últimos anos. Quais são os principais tipos de exames para IST? Isso depende. Os exames solicitados não são uma “receita de bolo”, sendo personalizados a cada pessoa, situação, hábitos, estilo de vida, entre outros detalhes que devem ser levados em consideração. Na maior parte das vezes, são feitos testes de sorologia. Eles são obtidos a partir de uma amostra de sangue analisada em laboratório. Normalmente, são realizados rapidamente, com resultados em poucas horas. No entanto, em alguns casos, o check-up envolve também outros tipos de exame, especialmente quando o paciente parece ter sintomas. Por isso, é necessário conversar com o profissional de saúde responsável pelo seu acompanhamento. Quais são as principais formas de prevenção?  Confira, a seguir, o infográfico com os principais métodos de prevenção das ISTs: Além das maneiras mencionadas acima, há outras formas de prevenção que não podem deixar de ser listadas. Vamos conferir mais sobre elas a seguir! Reduzir o número de parceiros Essa é uma maneira de limitar as suas chances de entrar em contato com algum vírus ou bactéria causador de uma IST. No entanto, não se preocupe: a prática do sexo seguro ainda é a melhor prevenção, ainda que você tenha muitos parceiros. Evitar compartilhar objetos perfurantes Algumas ISTs, como a AIDS, são também causadas pelo compartilhamento de objetos perfurantes, como agulhas. É por isso que há uma incidência grande desse problema entre usuários de drogas. No entanto, é fundamental se cuidar independentemente de qual seja a natureza do objeto compartilhado. Fazer procedimentos estéticos apenas em locais confiáveis Por causa dos objetos perfurantes, é necessário que você escolha bons locais para fazer procedimentos estéticos, como liftings, tatuagens e colocação de piercings. Desse modo, garantirá que todo o processo de esterilização seja feito da maneira correta e que a sua segurança não fique em jogo! Usar camisinha Além disso, vale a pena ressaltar a importância do preservativo durante as práticas sexuais. Em alguns casos, como na AIDS, ele protege as pessoas 100% do contágio, já que a contaminação depende dos fluidos corporais. No caso da herpes e outras ISTs, a taxa de prevenção não chega a tanto, mas reduz consideravelmente. Isso porque o contato com verrugas que estejam em outras áreas íntimas, que não são cobertas pela camisinha, também pode gerar a infecção.  Por fim, dois pontos de relevância. O primeiro: a contaminação por ISTs não acontece apenas com a ejaculação masculina. É por isso que a prática sexual entre mulheres também pode ocasionar a transmissão. Ou seja: se proteja, independentemente de qual seja a sua orientação sexual. O segundo: estar em um relacionamento estável não quer dizer, necessariamente, que você está imune às ISTs. Infelizmente, novos dados mostram que cada vez mais mulheres casadas e com um único parceiro são contaminadas com o vírus HIV e outras infecções sexualmente transmissíveis. Sendo assim, cuide de você acima de tudo. Como são os tratamentos para as ISTs atualmente? Os tratamentos também variam de acordo com as ISTs. Em alguns casos, são utilizados antibióticos. Em outros, é aplicado apenas o tratamento de suporte No caso da AIDS, por exemplo, o paciente toma uma série de remédios. Eles têm como objetivo adormecer o vírus, fazendo com que o microrganismo se multiplique mais lentamente, deixando o corpo da pessoa afetada em equilíbrio. Em outros casos, o paciente terá problemas secundários à doença, como alterações renais, hepáticas e de pele, o que exige cuidados específicos. Por isso, cada indivíduo será tratado de uma forma personalizada. Por que o sexo seguro ainda deve ser priorizado? Seja para cuidar da saúde da mulher e do homem e para evitar problemas com as ISTs, é essencial o sexo seguro — com a utilização de preservativos. O método de barreira, como é conhecido, é o melhor aliado contra esses tipos de infecção. Afinal, outras medidas — como a abstenção sexual — não condizem com o estilo de vida de muitas pessoas. É possível se relacionar tranquilamente, desde que sejamos responsáveis! Lembrando que há infecções que são adquiridas até mesmo pelo sexo oral. Por isso, é importante usar proteção em todos os tipos de práticas sexuais. Por que o Dezembro Vermelho é importante para combater estigmas? Quando não falamos sobre algo, isso se torna um assunto sobre o qual supostamente não devemos falar, torna-se um tabu. Por isso, conscientizar a população é uma forma de normalizar esse tema, fazendo com que ele seja parte das rodas de conversa e se insira no dia a dia da população. Isso ajuda a reduzir o preconceito e os casos de infecções sexualmente transmissíveis, tanto pelo cuidado que as pessoas passam a ter consigo mesmas, quanto com os outros. Por isso, fale sobre o Dezembro Vermelho com quem você conhece! Como podemos ver, a campanha Dezembro Vermelho é de extrema importância para a conscientização da população acerca das infecções sexualmente transmissíveis. Agora que você já tem todas essas informações, se previna e oriente as pessoas que você conhece sobre essas medidas tão importantes! Para finalizar, separamos um artigo que fala sobre outro tema importantíssimo: o Novembro Azul. Confira informações preciosas sobre o câncer de próstata e a prevenção dele.

Olá! Nosso site utiliza cookies para que possamos otimizar o atendimento que prestamos a você. Ao utilizar nosso site, você concorda com uso deles. Para saber mais, leia nossa política de privacidade.