Sabin Por: Sabin
Leitura
8min 17s
OUVIR 00:00
AAA

Desde o início da pandemia da Covid-19, a vacina responsável por proteger do coronavírus tem se tornado o centro das atenções no mundo inteiro. Com essa preocupação legítima e a necessidade de distanciamento social, outras doenças do calendário de vacinação foram deixadas de lado, o que é muito sério.

Isso impacta diretamente a saúde de pessoas de qualquer idade. Portanto, é fundamental que crianças, adolescentes, adultos, idosos e gestantes acompanhem de perto o calendário de vacinação para 2021. O que acha, então, de conferir quais são as vacinas indicadas pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI) e pela Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm)? Sempre lembrando da importância do acompanhamento médico.

Continue a leitura para saber tudo sobre o calendário de vacinação para 2021!

Importância de estar com a vacinação em dia

Mesmo durante a pandemia, é fundamental que toda a população não deixe de seguir o calendário de vacinação para outras doenças e se informe sobre as possibilidades de serviços de atendimento, como o atendimento móvel. Afinal, deixar de lado esse dever pode ameaçar a sociedade.

Um exemplo disso é o crescimento de mortes por sarampo, que chegaram ao total de 7 em 2020, sendo seis delas de crianças com menos de 18 meses de idade. Apesar de ter sido erradicado em 2015, o sarampo se tornou uma recente preocupação. Em 2019, antes mesmo da pandemia, ocorreram mais de 18 mil casos de sarampo no Brasil.

Outra doença que tem tido um aumento do número de casos é a febre amarela. Na região de Goiânia, por exemplo, de setembro de 2020 a janeiro de 2021 foram registradas 10 mortes de macacos, causadas pelo vírus. Apesar de o animal não ser um transmissor, esse é um sinal negativo de que o vírus está circulando.

Felizmente, todos esses problemas podem ser evitados com a vacinação.

Calendário de vacinação 2021

Afinal, qual é o calendário de vacinação em 2021 para adolescentes e adultos? Confira a lista:

  • Tríplice viral: previne sarampo, caxumba e rubéola;
  • Hepatite B: previne hepatite B;
  • Hepatite A: previne hepatite A;
  • dTpa: previne difteria, tétano e coqueluche;
  • Febre Amarela: previne a febre amarela;
  • Varicela: previne a catapora;
  • Meningocócica B: previne as meningites e as infecções generalizadas da bactéria meningococo do tipo B;
  • Meningocócica Conjugada ACWY: previne as meningites e as infecções generalizadas da bactéria meningococo dos tipos A, C, W e Y;
  • HPV: previne infecções pelo papiloma vírus humano, que causa câncer e verrugas genitais;
  • Pneumocócica 13: previne cerca de 90% das doenças graves, como pneumonia, meningite, otite, causadas por 13 sorotipos de pneumococos. Está indicada para crianças, adolescentes e adultos;
  • Dengue: previne dengue, infecção causada pelos quatro sorotipos de dengue: DEN1, DEN2, DEN3 e DEN4;
  • Gripe: induz a produção de anticorpos para reduzir as chances de infecção pelo vírus Influenza (que causa a gripe).

Além disso, é importante conferir o calendário de vacinação para os outros grupos, não é mesmo? Por isso, separamos a lista para crianças, idosos e gestantes.

Crianças

  • BCG ID: uma única dose aplicada ao nascer;
  • Hepatite B: três doses ao longo dos seis primeiros meses de vida para prevenir hepatite B;
  • DTPa: três doses ao longo dos seis primeiros meses de vida e reforços posteriores para prevenir difteria, tétano e coqueluche
  • Haemophilus influenzae B: três doses ao longo de seis meses e reforços posteriores para prevenção de doenças causadas pela bactéria;
  • Poliomielite: três doses ao longo dos seis primeiros meses de vida e reforços posteriores para proteger a criança da poliomielite;
  • Rotavírus: previne a gastrenterite aguda por esse vírus;
  • Pneumocócica conjugadas: previne cerca de 90% das doenças graves como pneumonia, meningite, otite causadas por 13 sorotipos de pneumococos em crianças;
  • Meningocócicas conjugadas ACWY/C: previne as meningites e as infecções generalizadas da bactéria meningococo dos tipos A, C, W e Y;
  • Meningocócica B: previne as meningites e as infecções generalizadas da bactéria meningococo do tipo B;
  • Influenza: previne contra infecção pelo vírus Influenza (que causa a gripe);
  • Poliomielite oral: previne a poliomielite infantil;
  • Febre amarela: previne a febre amarela;
  • Hepatite A: previne a hepatite A;
  • Tríplice viral: previne sarampo, caxumba e rubéola;
  • Varicela: previne a catapora;
  • HPV4: pode ser utilizada a partirde 9 anos de idade, previne infecções persistentes e lesões pré-cancerosas causadas pelos HPVs 6, 11, 16 e 18 e câncer de colo de útero, vagina, vulva, ânus e condilomas.

Gestantes

  • Tríplice bacteriana acelular do tipo adulto dTpa: recomendada para todas as gestantes, pois além de proteger a gestante e evitar que ela transmita a Bordetella pertussis (que causa a coqueluche) ao recém-nascido, permite a transferência de anticorpos ao feto, protegendo-o, nos primeiros meses de vida, até que possa ser imunizado.
  • Hepatite B: recomendada para todas as gestantes suscetíveis;
  • Influenza: gestante é grupo de risco para as complicações da infecção pelo vírus Influenza. A vacina está recomendada nos meses da sazonalidade do vírus, mesmo no primeiro trimestre de gestação.

É importante a participação do obstetra no planejamento das vacinas a serem utilizadas, as recomendações e contraindicações, as quais são baseadas no histórico de cada gestante.

Idosos

  • Influenza: dose anual para prevenção da gripe, causada pelo vírus Influenza;
  • Pneumocócicas: para maiores de 50 anos e, sobretudo para maiores de 60, recomenda-se esquema com as vacinas VPC13 e VPP23. Iniciar com uma dose da VPC13 seguida de uma dose de VPP23 seis a 12 meses depois, e uma segunda dose de VPP23, cinco anos após a primeira;
  • Herpes zóster: dose única, para prevenção da herpes zóster;
  • Tríplice bacteriana acelular do tipo adulto: prevenção de difteria, tétano e coqueluche;
  • Hepatite B: previne hepatite B;
  • Hepatite A: após avaliação sorológica ou em situações de exposição ou surtos. Duas doses com intervalo de 6 meses;
  • Febre amarela: para idosos não previamente vacinados e residentes em áreas de risco para a infecção, após a avaliação médica sobre os riscos e os benefícios da vacina;
  • Meningocócicas conjugadas ACWY/C: dose única, em caso de surto ou viagem para locais de risco da infecção;
  • Tríplice viral: dose única, de acordo com as condições do paciente, para prevenção de sarampo, caxumba e rubéola.

O calendário de vacinação é muito simples de ser compreendido, certo? Inclusive, seguir a recomendação das autoridades de saúde é fundamental para garantir que problemas antigos não voltem a comprometer a qualidade de vida e a saúde dos brasileiros. Mesmo com a necessidade de isolamento social, a vacinação não pode parar. E para facilitar e manter os ciclos de vacinação atualizados, contamos com serviços de atendimento móvel para o cumprimento do calendário, com os devidos cuidados que o momento exige.

Outra razão para que o calendário de vacinação não seja seguido à risca são as dúvidas sobre as vacinas. Pensando nisso, nossa dica é para você ler sobre 15 mitos e verdades sobre vacinas e vacinação. Dessa forma, você não permite que a falta de informação prejudique a sua saúde e a de toda a sua família!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Autocuidado

Conheça 8 dicas práticas para ter uma rotina saudável

É muito comum ouvirmos que devemos adotar uma rotina saudável. Essa ideia está presente na mídia, nos consultórios médicos e até nas rodas de conversa em família. Mas, afinal, o que isso significa? A verdade é que depende. Não há uma única...

Autocuidado

Saiba como os exercícios físicos ajudam na sua saúde

Você já deve ter ouvido falar sobre como exercícios físicos ajudam na saúde, certo? Mas, afinal, qual é a relevância desse hábito para o nosso dia a dia? Apenas se exercitar é o suficiente para ter um organismo mais saudável? E como praticá-los da...

Saúde

O que é Novembro Azul? Entenda o mês de prevenção ao câncer de próstata

Quando o assunto é câncer, todo mundo fica um pouco assustado. Não é para menos, já que essa é uma doença séria, podendo ser fatal. No entanto, uma das principais medidas para evitar esse desfecho é o diagnóstico precoce, um dos principais temas...

Conheça o calendário de vacinação para 2021: saiba sobre datas e doses; Desde o início da pandemia da Covid-19, a vacina responsável por proteger do coronavírus tem se tornado o centro das atenções no mundo inteiro. Com essa preocupação legítima e a necessidade de distanciamento social, outras doenças do calendário de vacinação foram deixadas de lado, o que é muito sério. Isso impacta diretamente a saúde de pessoas de qualquer idade. Portanto, é fundamental que crianças, adolescentes, adultos, idosos e gestantes acompanhem de perto o calendário de vacinação para 2021. O que acha, então, de conferir quais são as vacinas indicadas pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI) e pela Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm)? Sempre lembrando da importância do acompanhamento médico. Continue a leitura para saber tudo sobre o calendário de vacinação para 2021! Importância de estar com a vacinação em dia Mesmo durante a pandemia, é fundamental que toda a população não deixe de seguir o calendário de vacinação para outras doenças e se informe sobre as possibilidades de serviços de atendimento, como o atendimento móvel. Afinal, deixar de lado esse dever pode ameaçar a sociedade. Um exemplo disso é o crescimento de mortes por sarampo, que chegaram ao total de 7 em 2020, sendo seis delas de crianças com menos de 18 meses de idade. Apesar de ter sido erradicado em 2015, o sarampo se tornou uma recente preocupação. Em 2019, antes mesmo da pandemia, ocorreram mais de 18 mil casos de sarampo no Brasil. Outra doença que tem tido um aumento do número de casos é a febre amarela. Na região de Goiânia, por exemplo, de setembro de 2020 a janeiro de 2021 foram registradas 10 mortes de macacos, causadas pelo vírus. Apesar de o animal não ser um transmissor, esse é um sinal negativo de que o vírus está circulando. Felizmente, todos esses problemas podem ser evitados com a vacinação. Calendário de vacinação 2021 Afinal, qual é o calendário de vacinação em 2021 para adolescentes e adultos? Confira a lista: Tríplice viral: previne sarampo, caxumba e rubéola;Hepatite B: previne hepatite B;Hepatite A: previne hepatite A;dTpa: previne difteria, tétano e coqueluche;Febre Amarela: previne a febre amarela;Varicela: previne a catapora;Meningocócica B: previne as meningites e as infecções generalizadas da bactéria meningococo do tipo B;Meningocócica Conjugada ACWY: previne as meningites e as infecções generalizadas da bactéria meningococo dos tipos A, C, W e Y;HPV: previne infecções pelo papiloma vírus humano, que causa câncer e verrugas genitais;Pneumocócica 13: previne cerca de 90% das doenças graves, como pneumonia, meningite, otite, causadas por 13 sorotipos de pneumococos. Está indicada para crianças, adolescentes e adultos;Dengue: previne dengue, infecção causada pelos quatro sorotipos de dengue: DEN1, DEN2, DEN3 e DEN4;Gripe: induz a produção de anticorpos para reduzir as chances de infecção pelo vírus Influenza (que causa a gripe). Além disso, é importante conferir o calendário de vacinação para os outros grupos, não é mesmo? Por isso, separamos a lista para crianças, idosos e gestantes. Crianças BCG ID: uma única dose aplicada ao nascer;Hepatite B: três doses ao longo dos seis primeiros meses de vida para prevenir hepatite B;DTPa: três doses ao longo dos seis primeiros meses de vida e reforços posteriores para prevenir difteria, tétano e coquelucheHaemophilus influenzae B: três doses ao longo de seis meses e reforços posteriores para prevenção de doenças causadas pela bactéria;Poliomielite: três doses ao longo dos seis primeiros meses de vida e reforços posteriores para proteger a criança da poliomielite;Rotavírus: previne a gastrenterite aguda por esse vírus;Pneumocócica conjugadas: previne cerca de 90% das doenças graves como pneumonia, meningite, otite causadas por 13 sorotipos de pneumococos em crianças;Meningocócicas conjugadas ACWY/C: previne as meningites e as infecções generalizadas da bactéria meningococo dos tipos A, C, W e Y;Meningocócica B: previne as meningites e as infecções generalizadas da bactéria meningococo do tipo B;Influenza: previne contra infecção pelo vírus Influenza (que causa a gripe);Poliomielite oral: previne a poliomielite infantil;Febre amarela: previne a febre amarela;Hepatite A: previne a hepatite A;Tríplice viral: previne sarampo, caxumba e rubéola;Varicela: previne a catapora;HPV4: pode ser utilizada a partirde 9 anos de idade, previne infecções persistentes e lesões pré-cancerosas causadas pelos HPVs 6, 11, 16 e 18 e câncer de colo de útero, vagina, vulva, ânus e condilomas. Gestantes Tríplice bacteriana acelular do tipo adulto dTpa: recomendada para todas as gestantes, pois além de proteger a gestante e evitar que ela transmita a Bordetella pertussis (que causa a coqueluche) ao recém-nascido, permite a transferência de anticorpos ao feto, protegendo-o, nos primeiros meses de vida, até que possa ser imunizado.Hepatite B: recomendada para todas as gestantes suscetíveis;Influenza: gestante é grupo de risco para as complicações da infecção pelo vírus Influenza. A vacina está recomendada nos meses da sazonalidade do vírus, mesmo no primeiro trimestre de gestação. É importante a participação do obstetra no planejamento das vacinas a serem utilizadas, as recomendações e contraindicações, as quais são baseadas no histórico de cada gestante. Idosos Influenza: dose anual para prevenção da gripe, causada pelo vírus Influenza;Pneumocócicas: para maiores de 50 anos e, sobretudo para maiores de 60, recomenda-se esquema com as vacinas VPC13 e VPP23. Iniciar com uma dose da VPC13 seguida de uma dose de VPP23 seis a 12 meses depois, e uma segunda dose de VPP23, cinco anos após a primeira;Herpes zóster: dose única, para prevenção da herpes zóster;Tríplice bacteriana acelular do tipo adulto: prevenção de difteria, tétano e coqueluche;Hepatite B: previne hepatite B;Hepatite A: após avaliação sorológica ou em situações de exposição ou surtos. Duas doses com intervalo de 6 meses;Febre amarela: para idosos não previamente vacinados e residentes em áreas de risco para a infecção, após a avaliação médica sobre os riscos e os benefícios da vacina;Meningocócicas conjugadas ACWY/C: dose única, em caso de surto ou viagem para locais de risco da infecção;Tríplice viral: dose única, de acordo com as condições do paciente, para prevenção de sarampo, caxumba e rubéola. O calendário de vacinação é muito simples de ser compreendido, certo? Inclusive, seguir a recomendação das autoridades de saúde é fundamental para garantir que problemas antigos não voltem a comprometer a qualidade de vida e a saúde dos brasileiros. Mesmo com a necessidade de isolamento social, a vacinação não pode parar. E para facilitar e manter os ciclos de vacinação atualizados, contamos com serviços de atendimento móvel para o cumprimento do calendário, com os devidos cuidados que o momento exige. Outra razão para que o calendário de vacinação não seja seguido à risca são as dúvidas sobre as vacinas. Pensando nisso, nossa dica é para você ler sobre 15 mitos e verdades sobre vacinas e vacinação. Dessa forma, você não permite que a falta de informação prejudique a sua saúde e a de toda a sua família!

Olá! Nosso site utiliza cookies para que possamos otimizar o atendimento que prestamos a você. Ao utilizar nosso site, você concorda com uso deles. Para saber mais, leia nossa política de privacidade.